A importância de controlar a pressão arterial

Esta unidade de aprendizado lhe ajudará a entender como as variações da sua pressão arterial podem afetar o seu filho e saber como preveni-las. Não deixe de ler estas notas!

Definição

A pressão arterial ou sanguínea é a força que se aplica nas paredes das artérias À medida que o coração bombeia o sangue através do corpo.

Durante a gestação, o aumento ou a diminuição desta tensão pode causar graves consequências tanto para a mãe como para o bebê.

Medições

No decorrer dos nove meses, o acompanhamento deve se pautar sobre os seguintes parâmetros:

  • A tensão arterial máxima (ou pressão sistólica) não deve passar dos 140 mmHg (milímetros de mercúrio). É obtida quando o coração se contrai ao bater.
  • A tensão arterial mínima (ou diastólica) não deve superar os 90 mmHg. É registrada durante o relaxamento cardíaco.
  • Isto significa que o tensiômetro marcará 140/90. Considera-se anormal estar acima destas marcas em qualquer fase da gravidez.

Pressão alterada

Na gestação, as células que formarão a placenta “invadem” determinadas artérias do útero que irrigam sangue, modificando suas estruturas. Isto, somado às mudanças hormonais, a função dos rins e de outros órgãos, provoca uma diminuição na pressão arterial durante o primeiro trimestre, a qual se mantém e pode se acentuar durante o segundo trimestre, estabilizando nos valores normais prévios à gravidez durante a segunda metade do terceiro trimestre.

As causas

Quando a pressão arterial aumenta, isto geralmente se deve ao fracasso dos mecanismos de adaptação do corpo e a outros transtornos multifatoriais. Entre eles cabe mencionar a inflamação interna de capilares e artérias maternas que levam à liberação de substâncias que produzem menor circulação placentária, à diminuição da oxigenação fetal e ao espasmo nas artérias da mãe, o que por sua vez afeta o funcionamento dos rins, fígado, os mecanismos de coagulação, a função do coração e do cérebro.

Os controles

Numa futura mamãe que não apresenta alterações nos exames habituais do pré-natal, os controles recomendados são:

  • Um por mês durante o primeiro e segundo trimestre.
  • A cada 15 dias durante o terceiro e até a 37ª ou 38ª semana.
  • Passado este período, realiza-se um controle semanal até a data do parto.

Tratando a hipertensão

No caso da grávida apresentar alguma anormalidade, o obstetra determinará a frequência e o tipo de controle a ser realizado. O recomendado será voltar a controlar a pressão entre uma e duas horas de repouso.

Se a pressão não baixar, é imprescindível se consultar com um especialista. Diante desta situação, é aconselhável:

  • Repouso
  • Dieta sem sal

Outros exames serão feitos para averiguar que tipo de hipertensão apresenta a mulher, diagnosticá-la e lhe indicar o tratamento adequado para proteger a sua e também a do bebê.

Sobre a retenção de líquidos

Muitas mulheres acham que um dos fatores que propicia a hipertensão é a retenção de líquidos. Mas ainda que o volume de líquido retido aumente em até 60% ao longo da gravidez, isto é absolutamente normal e começa nas primeiras semanas da gestação. O aumento da retenção compensa a dilatação fisiológica dos vasos sanguíneos, fazendo que a pressão não baixe muito e contribuindo para o aumento da circulação da placenta, o que propicia um bom desenvolvimento fetal.

Quando se desencadeiam mecanismos que levam à hipertensão, a retenção de líquidos aumenta por falhas na função dos rins e pela excessiva saída de líquidos do interior das artérias e das veias para os tecidos.

Você por estar interessado

Semana 34: Compartilhando a alegria

É um bom momento para começar a informar-se sobre tudo o que se refere ao parto para tomar decisões conscientes e responsáveis sobre o nascimento do seu bebê.

Você pode deixar essa lista com alguém que se encarregue de avisar a todas as pessoas, assim, todos vão celebrar com você este momento tão especial da sua vida.

Seu corpo

  • Se esta difícil dormir uma noite inteira, experimente testar alguns conselhos simples: não tire sonecas à tarde, faça exercícios e mantenha-se bem hidratada. Além disso, evite o consumo de líquidos depois das 20 horas para não urinar com tanta frequência. Se não conseguir dormir, é melhor ler ou ver televisão e esperar que o sono volte.
  • Seu corpo suporta cada vez mais peso devido ao avanço da gravidez. Suas costas sofrem e isso provoca uma dor forte. Para isso, é recomendável um bom e relaxante banho de banheira.
  • Devido à pressão que o bebê exerce na sua pélvis, você tem a sensação de que ele desceu ainda mais.

Por outro lado, suas ansiedades e medos podem causar o aparecimento de dúvidas sobre o parto prematuro. Por isso, informe-se bem sobre quais são os sinais e sintomas deste parto:

  • Cólicas que se parecem às cólicas menstruais e que podem vir acompanhadas de diarreia, indigestão ou náuseas.
  • Um fluxo aquoso, de cor rosada ou café, acompanhada de um material mucoso.
  • Fluido amniótico saindo pela vagina.

Seu bebê

  • O bebê mede aproximadamente 43 cm e pesa ao redor de 2400g.
  • Ele se mexe bastante enquanto está acordado, mas, como os recém-nascidos, passa bastante tempo dormindo.
  • Os olhos do seu bebê agora ficam abertos enquanto ele está acordado e se fecham quando o pequeno dorme.
  • Seu sistema de imunidade está desenvolvendo defesas contra inúmeras doenças. Se for um menino, seus testículos já estão junto ao escroto.

Tentamos informar da forma mais precisa possível, mas tendo em conta que as taxas de crescimento e desenvolvimento da gestação são ocasionalmente diferentes para cada mulher, recomendamos que leia a semana exata de sua gravidez, também a semana antes e a semana depois. Em caso de dúvida, não hesite em contatar seu médico.

Você por estar interessado