Colestase obstétrica

É uma alteração hepática que ocorre quando a secreção da bile se inibe durante a gravidez, fazendo com que as toxinas permaneçam mais tempo no fígado. É importante tratá-la a tempo, pois pode afetar o bebê.

As causas desta complicação estão sendo estudadas a partir dos elementos hormonais e genéticos. Uma delas é a influência de maiores quantidades de estrógeno e progesterona que são produzidas durante a gravidez, já que em algumas mulheres isto pode afetar o fluxo de bile. As probabilidades de ocorrência são mais altas quando há um histórico familiar com esta característica e é mais recorrente em certas partes do mundo. (O Chile, por exemplo, é o país com maior incidência na América Latina, sobretudo nas populações indígenas).

Sintomas comuns

O principal sintoma é a coceira, começando nas palmas das mãos e plantas dos pés, porém, pode extender-se para todo o corpo e aumentar durante a noite. Isto pode afetar o ritmo do sono, concentração e humor, produzindo problemas para dormir e muito cansaço. Outros sintomas possíveis são a falta de apetite e enjoos.

No entanto, estes sinais são normais durante a gravidez, sem que seja necessariamente uma alteração hepática. Por isso, a maneira de diagnosticar a colestase obstétrica é por meio de um exame de sangue no qual se possa observar e analisar a presença de bile e outras enzimas do fígado.

Isto não é perigoso para você na gravidez, mas coloca em risco o bem-estar do seu bebê, já que pode produzir sofrimento fetal, parto prematuro ou, se não for tratado, interromper o curso da gestação.

Durante o parto, esta complicação aumenta a possibilidade de hemorragias e é muito possível que volte a ocorrer em futuras gestações. Depois do parto, não há consequências nem para sua saúde, nem para a do seu bebê. O fígado volta a funcionar normalmente.

Você por estar interessado

Prurido (comichão)

A barriga coça? Novamente, a alteração hormonal produzida durante a gravidez é a culpável. É normal que isso aconteça, mas é sempre melhor verificar com seu médico.

Prurido (comichão)



A barriga coça? Novamente, a alteração hormonal produzida durante a gravidez é a culpável. É normal que isso aconteça, mas é sempre melhor verificar com seu médico.

O prurido na pele é comum na gravidez. Sua pele está mais seca e geralmente pode causar a coceira. Pode ocorrer em qualquer parte do corpo, mas especialmente na pele do abdômen e principalmente nas estrias que parecem progredir na gravidez. Você também pode ter prurido ao redor dos tornozelos que está ligada as alterações nas veias das pernas. De qualquer forma, é um prurido leve que não a deixar acordar na noite e raramente deixa marcas de se ter coçado.

O prurido cede com a aplicação de loções hidratantes, mas você deve consultar com seu médico ou dermatologista para saber o que você não pode usar.

Em outros casos, o prurido pode ser devido a infestações parasitárias, tais como escabiosis (sarna), doenças hepáticas como cirrose biliar primária ou colestase gravídica, doença renal, tireoidea ou cutânea. Em geral, nestes casos, o prurido pode ser muito intenso, especialmente nas palmas e nas plantas do pé, chegando a acordá-la na noite ou não a deixar dormir. Isso também causa uma comichão tão intensa que deixa marcas. Com qualquer uma dessas últimas características, é importante consultar com o médico.

Você por estar interessado