Dor de cabeça na gravidez

Algumas mulheres sofrem de dores de cabeça mais profundas durante a gestação, enquanto outras notam uma melhora nesse incômodo. Quais são as causas destas mudanças e como os hormônios atuam?

Desde o início da menstruação até a menopausa, os hormônios femininos influenciam de forma decisiva na vida da mulher. A concentração de estrogênio e progesterona se modifica e impacta todos os órgãos do corpo, em especial o cérebro e os vasos sanguíneos, que transportam sangue ao sistema nervoso.

Um mecanismo natural


A queda do nível de estrogênios é a responsável pelo sangramento menstrual, o que permite a renovação do endométrio, para preparar o útero diante de um potencial óvulo fecundado. No entanto, os estrogênios não têm somente a ver com a reprodução, mas também são potentes moduladores de dor. Por essa razão, ao mudar sua concentração no corpo, aumenta a predisposição da paciente às dores de cabeça. Este mecanismo explica porque mais de 50% das mulheres sofrem de migrâneas e enxaquecas durante a menstruação.

E na gravidez?


75% das mulheres experimentam uma melhoria em suas dores de cabeça durante o segundo e o terceiro trimestre de gestação. Inclusive, as que têm migrâneas relacionadas com os ciclos menstruais têm, nessa etapa, probabilidades de que essas dores melhorem ou desapareçam durante a gravidez. No entanto, os 25% das mulheres grávidas restantes sofrem um agravamento de suas dores de cabeça nos seguintes aspectos:


• Frequência do aparecimento
• Intensidade da dor

Além disso, é necessário informar que aproximadamente 10 em cada 100 mulheres iniciam suas migrâneas com a gravidez, e muitas vezes as dores de cabeça começam antes que a mulher se dê conta do seu novo estado.

De fato, às vezes esse incômodo é considerado uma síndrome da gravidez e representa um problema sério se a futura mamãe toma medicamentos que estão proibidos nesse período, razão pela qual se recomenta não automedicar-se diante da mínima suspeita de gravidez.

Você por estar interessado

Prurido (comichão)

A barriga coça? Novamente, a alteração hormonal produzida durante a gravidez é a culpável. É normal que isso aconteça, mas é sempre melhor verificar com seu médico.

Prurido (comichão)



A barriga coça? Novamente, a alteração hormonal produzida durante a gravidez é a culpável. É normal que isso aconteça, mas é sempre melhor verificar com seu médico.

O prurido na pele é comum na gravidez. Sua pele está mais seca e geralmente pode causar a coceira. Pode ocorrer em qualquer parte do corpo, mas especialmente na pele do abdômen e principalmente nas estrias que parecem progredir na gravidez. Você também pode ter prurido ao redor dos tornozelos que está ligada as alterações nas veias das pernas. De qualquer forma, é um prurido leve que não a deixar acordar na noite e raramente deixa marcas de se ter coçado.

O prurido cede com a aplicação de loções hidratantes, mas você deve consultar com seu médico ou dermatologista para saber o que você não pode usar.

Em outros casos, o prurido pode ser devido a infestações parasitárias, tais como escabiosis (sarna), doenças hepáticas como cirrose biliar primária ou colestase gravídica, doença renal, tireoidea ou cutânea. Em geral, nestes casos, o prurido pode ser muito intenso, especialmente nas palmas e nas plantas do pé, chegando a acordá-la na noite ou não a deixar dormir. Isso também causa uma comichão tão intensa que deixa marcas. Com qualquer uma dessas últimas características, é importante consultar com o médico.

Você por estar interessado