Herpes genital

As doenças infecciosas podem colocar em risco a sua gravidez, afetando a saúde do seu bebê. O herpes genital é uma destas doenças e pode ter sérias consequências se não diagnosticada a tempo.

O responsável pelo herpes genital é o Herpes Simples tipo 2 e se trata de uma doença de contágio sexual.

Os sintomas iniciais são um conjunto de pápulas (urticária) pequenas, que coçam e muitas vezes são dolorosas. É acompanhada de febre e mal-estar geral, além de adenopatia (gânglios) dolorosa na virilha. Depois se transformam em bolhas amareladas que acumulam pus e se abrem, deixando úlceras no lugar. Frequentemente, curam-se sem cicatrizes em 1 ou 2 semanas, salvo os episódios recorrentes.

Riscos para a gravidez

É raro que a mãe transmita essa doença ao feto por meio da placenta, mas, se acontecer, ocorrerá como uma das infecções conhecidas pela sigla de TORCH, por causa das sérias lesões que pode provocar no feto: microcefalia, calcificações intracranianas, retardo psicomotor, retardo do crescimento intrauterino. A infecção do recém-nascido é produzida pelo contato no canal do parto e é uma infecção grave e frequentemente mortal para o bebê, o qual pode ter icterícia, hepatoesplenomegalia (aumento do fígado e baço) e infecção generalizada. Os que sobrevivem ficam com sequelas neurológicas de gravidade variável.

Por isso, é muito importante a detecção precoce. O diagnóstico é realizado por meio do aspecto das lesões herpéticas da região genital e/ou pela busca de pistas desta infecção em seu sistema imune mediante a extração de sangue, buscando pelos anticorpos contra esse vírus. Também é importante o interrogatório dos médicos ao paciente e aos seus parceiros sexuais para determinar a existência de episódios prévios destas lesões em ambos.

Diante da detecção da doença, o tratamento é curto e efetivo, utilizando medicamentos antivirais como o Aciclovir, que não afetam o bebê. Diante da existência do vírus na mãe no momento do parto (lesões ativas), o risco de infecção é de 40-50%. Por conta destes números, nestes casos, a cesárea é a via mais indicada para evitar o contágio. Se a bolsa estoura antes da hora, a cesárea deve ser realizada dentro de 4 horas, ou as possibilidades de contágio voltam a aumentar.

Você por estar interessado

Sutiãs de Maternidade

Sutiãs de Maternidade



Ao escolher um sutiã de maternidade, as escolhas são infinitas, então não há motivo para não encontrar um que se encaixe confortavelmente e que a faça sentir-se bem.

Se você sempre comprou o mesmo tamanho de sutiã desde a adolescência, quando seus seios pararam de crescer, isso pode ser uma surpresa. Não pense que você necessariamentre ainda vai usar o mesmo tamanho de sutiã agora que está grávida. Mais do que nunca, é importante que um especialista em sutiãs a aconselhe corretamente. Geralmente, você pode encontrá-los em lojas de departamento e dentro de lojas especializadas em lingerie.

Quando devo comprar um sutiã de maternidade?

Um sutiã de maternidade incorreto pode gerar tensão no pescoço, ombros e costas. Muitas mulheres só percebem que existem outras alternativas, até tentar um sutiã mais confortável.

No primeiro trimestre da gravidez, os seios da maioria das mulheres já passaram por uma mudança significativa. A rigidez e a sensibilidade, junto com o aumento do tamanho, fazem à maioria das mulheres sentirem muito mais incomodo em seus seios. Cada mulher experimenta mudanças únicas em seus seios, embora o aumento de tamanho e peso do tecido mamário seja comum.

A maioria das alterações mamárias durante a gravidez ocorrem nos primeiros quatro meses. Essas mudanças hormonais são essenciais e inevitáveis durante a gravidez, pois preparam os seios para amamentação. Mudanças rápidas no tecido mamário, tamanho e forma, fazem que você se sinta desconfortável com seus seios sem um sutiã apropriado. Se normalmente você evita usar sutiãs, usando apenas tops, talvez seja necessário repensar suas opções de roupas íntimas.

Por que eu deveria comprar um sutiã de maternidade?

Como eles são desenhados para fornecer um nível de suporte diferente do que os sutiãs normais, não possuem fios rígidos e tendem a ter alças mais largas e mais opções de gancho para o fechamento nas costas. Eles são muito diferentes dos sutiãs normais que são desenhados para o tecido mamário não lactante e muitas vezes podem ter a moda e a aparência como uma prioridade

Importa se eu não quiser usar um sutiã de maternidade?

Você não é obrigada a fazer nada, a escolha é totalmente sua. Algumas mulheres não se adaptam bem a esse tipo de sutiã e outras, sim.

No entanto, usar um sutiã, sem dúvida, ajudará a evitar o alongamento do tecido mamário ajudando a reduzir a flacidez e o desconforto.

O que devo procurar quando comprar um sutiã de maternidade?

Três palavras responderão a esta pergunta: conforto, apoio e aparência, cada um desses fatores é igualmente importante. Todas nós tivemos a experiência de vestir um sutiã desconfortável e quando o fazemos, tudo o que pensamos é tira-lo.

Que mulher não entrou na casa, depois de um longo dia, tirou o sutiã e sentiu um grande alívio?

Posso usar os mesmos sutiãs de maternidade para todas as minhas gravidezes?

É possível, desde que estejam em boas condições e não tenham perdido suas propriedades de suporte. Muito uso e a lavagem podem corroem as fibras e, como qualquer outra roupa, os sutiãs de maternidade têm vida útil.

Cada gravidez coloca novas exigências e alterações hormonais sobre os seios de uma mulher e a taxa de crescimento dos seios pode ser diferente para cada gravidez.

Cuidado dos sutiãs de maternidade

Embora os fabricantes recomendem lavá-los à mão, é muito difícil ter tempo para isso. No entanto, se você cuidar de seus sutiãs de maternidade, eles cuidarão de você e durarão mais do que se você os colocar na máquina de lavar.

Evite lavar com água quente, isso só irá destruir as fibras elásticas e qualquer cordão que tenha. 

Você por estar interessado