Herpes genital

As doenças infecciosas podem colocar em risco a sua gravidez, afetando a saúde do seu bebê. O herpes genital é uma destas doenças e pode ter sérias consequências se não diagnosticada a tempo.

O responsável pelo herpes genital é o Herpes Simples tipo 2 e se trata de uma doença de contágio sexual.

Os sintomas iniciais são um conjunto de pápulas (urticária) pequenas, que coçam e muitas vezes são dolorosas. É acompanhada de febre e mal-estar geral, além de adenopatia (gânglios) dolorosa na virilha. Depois se transformam em bolhas amareladas que acumulam pus e se abrem, deixando úlceras no lugar. Frequentemente, curam-se sem cicatrizes em 1 ou 2 semanas, salvo os episódios recorrentes.

Riscos para a gravidez

É raro que a mãe transmita essa doença ao feto por meio da placenta, mas, se acontecer, ocorrerá como uma das infecções conhecidas pela sigla de TORCH, por causa das sérias lesões que pode provocar no feto: microcefalia, calcificações intracranianas, retardo psicomotor, retardo do crescimento intrauterino. A infecção do recém-nascido é produzida pelo contato no canal do parto e é uma infecção grave e frequentemente mortal para o bebê, o qual pode ter icterícia, hepatoesplenomegalia (aumento do fígado e baço) e infecção generalizada. Os que sobrevivem ficam com sequelas neurológicas de gravidade variável.

Por isso, é muito importante a detecção precoce. O diagnóstico é realizado por meio do aspecto das lesões herpéticas da região genital e/ou pela busca de pistas desta infecção em seu sistema imune mediante a extração de sangue, buscando pelos anticorpos contra esse vírus. Também é importante o interrogatório dos médicos ao paciente e aos seus parceiros sexuais para determinar a existência de episódios prévios destas lesões em ambos.

Diante da detecção da doença, o tratamento é curto e efetivo, utilizando medicamentos antivirais como o Aciclovir, que não afetam o bebê. Diante da existência do vírus na mãe no momento do parto (lesões ativas), o risco de infecção é de 40-50%. Por conta destes números, nestes casos, a cesárea é a via mais indicada para evitar o contágio. Se a bolsa estoura antes da hora, a cesárea deve ser realizada dentro de 4 horas, ou as possibilidades de contágio voltam a aumentar.

Você por estar interessado

Alimentos para evitar durante a gravidez

Durante a gravidez, existem várias razões para ter um cuidado extra com o que você come - é importante saber quais são os alimentos seguros e quais devem ser evitados. Alguns alimentos contêm toxinas que podem afetar o seu bebê, outros contêm bactérias que podem enfraquecer seu sistema imunológico e causar danos ao feto. Certifique-se de que a maioria dos alimentos que você come sejam cozidos e, ao escolher uma receita, seja seletiva sobre o que você come para proteger a seu bebê contra bactérias nocivas e danos durante o desenvolvimento.

 

 

Alimentos para evitar durante a gravidez



Durante a gravidez, existem várias razões para ter um cuidado extra com o que você come - é importante saber quais são os alimentos seguros e quais devem ser evitados. Alguns alimentos contêm toxinas que podem provocar defeitos em seu bebê, outros contêm bactérias transmitidas que podem enfraquecer seu sistema imunológico e causar danos ao feto. Certifique-se de que a maioria dos alimentos que você come sejam cozidos e, ao escolher uma receita, seja seletiva sobre o que você come para proteger a seu bebê contra bactérias nocivas e danos durante o desenvolvimento.

Outro ponto importante a lembrar ao selecionar o que comer é o valor nutricional dos alimentos com os quais você está alimentando a seu bebê. É crucial obter vitaminas e minerais suficientes em sua dieta durante a gravidez, como ácido fólico, ferro, vitamina C e vitamina A, entre outros.

Há muitos alimentos que você deve evitar quando estiver grávida. A maioria dos médicos aconselha as mulheres grávidas evitar certos peixes, carnes crus, ovos crus, queijos maduros, brotos, patê, vegetais não lavados e outros alimentos discutidos abaixo:

Peixes

Alguns peixes, como tubarão, marlin, atum rabilho, laranja e peixe-espada, contêm grandes quantidades de mercúrio que se acumulam no seu tecido adiposo. As mulheres grávidas devem evitar comer grandes quantidades para evitar danos neurológicos em seu bebê. Seu bebê está em crescimento e tem um sistema nervoso sensível e, embora não seja claro quantos mariscos você teria que comer para experimentar efeitos prejudiciais, é melhor evitá-los. Outros alimentos crus que as mulheres devem evitar são as ostras e o sushi.

Ovos crus

Talvez comer ovos crus nunca tenha passado por sua mente, mas alguns alimentos os têm e podem ser uma fonte de salmonela. Os alimentos que contêm ovos crus incluem maionese, saladas Cesar, gemada, creme holandês e alguns ingredientes batidos como os usados no pudim. Para reduzir o risco de salmonela, lembre-se de cozinhar ovos antes de comera-los em qualquer refeição.

Frango cru

O frango cru deve ser evitado em todo momento, mas mais durante a gravidez. Comer ou entrar em contato com superfícies que tiveram frango cru pode transmitir salmonela, até mesmo o frango da noite anterior deve ser aquecido ou cozido novamente para destruir qualquer vestígio.

Queijos maduros

Os queijos maduros, como queijo azul, feta, brie, camembert, cottage, ricotta, queijos latino-americanos amassados e qualquer leite não pasteurizado ou lácteos não pasteurizados devem ser evitados, pois podem conter a bactéria Listeria. Esta bactéria é prejudicial para o seu bebê e deve ser evitada. Enquanto adultos com Listeria muitas vezes não apresentam sintomas, pode causar complicações fatais para o feto ou o recém-nascido. A listeriose é conhecida por desencadear abortos espontâneos, partos prematuros e envenenamento do sangue. É melhor evitar esse tipo de alimentos quando estiver grávida e consumir somente após o nascimento.

Frutas e vegetais

Ao comprar frutas e vegetais, assegure-se de lavá-los para remover pesticidas e bactérias nocivas. Os vegetais não lavados podem transmitir toxoplasmose, um parasita que contamina o solo. Evite também completamente qualquer fruta e / ou vegetais mofados.

Outros alimentos a evitar quando estiver grávida

Além dos alimentos mencionados acima, as mulheres devem evitar brotos crus, pois alguns resultaram em incidentes de surtos de salmonela. O sorvete de máquina e muitos alimentos enchidos podem conter Listeria, por isso é importante evitá-los e, se possível, minimizar o contato com essas bactérias. Outro alimento a evitar durante a gravidez e amamentação é o amendoim, pois isso pode aumentar as chances de desenvolver alergias. Os amendoins têm um tipo de mofo chamado afla toxina que pode ser potencialmente perigoso para o seu bebê.

Aditivos alimentares

Muitos alimentos são preenchidos com aditivos e conservantes, pelo qual é recomendável selecionar cuidadosamente os alimentos embalados. Os aditivos a serem evitados são MSG (glutamato monossódico) que podem causar desconforto no estômago e dores de cabeça. Evite também cores artificiais, especialmente azul 1, azul 2, verde 3, vermelho 3 e amarelo 6 e sacarina.

Vitaminas

Quando uma mulher está grávida, seu corpo requer diferentes quantidades de vitaminas para sustentar o crescimento do feto. A gravidez faz que o corpo da mulher experimente mudanças hormonais drásticas que agregam muito estresse. Portanto, você deve verificar quais são os tipos de vitaminas que você precisa. O seu médico pode recomendar suplementos pré-natais seguros e eficazes que podem fornecer vitaminas suficientes para garantir um desenvolvimento fetal saudável. Claro, obter esses nutrientes dos alimentos sempre será a melhor opção.

Tenha em mente

Os alimentos para evitar quando você está grávida são realmente muitos, por isso é muito importante que você mantenha em sua cabeça uma lista daqueles que você deve evitar para garantir o desenvolvimento saudável do seu bebê. Não é importante apenas manter uma dieta saudável, mas também manter seu peso controlado. Portanto, comer saudável é a principal prioridade e não fazer dieta para minimizar o ganho de peso.

Outra coisa que você deve ter em mente é que, se você vai comer fora, deve se certificar de que a comida que lhe serviam esteja morna, não quente ou fria. Também tente evitar muita comida rápida, pois geralmente é rica em açúcares e gorduras saturadas.

Limite a ingestão de cafeína e renuncie ao álcool (é apenas por um tempo), porque não existe um nível seguro para seu consumo durante a gravidez. O consumo de álcool durante a gravidez foi associado com baixo coeficiente intelectual em lactentes, baixo peso ao nascer e malformações. O álcool também interrompe a absorção de ácido fólico e ferro e reduz o cálcio nos ossos.

A regra número um para lembrar é: comer somente quando você estiver com fome. Tente não se preocupar com o seu apetite mutável, basta levar em conta os alimentos anteriores para evitar e tentar ganhar peso à taxa recomendada pelo seu médico. Não hesite em monitorar-se.

Você por estar interessado