Infecção urinária na gravidez

É a doença que se apresenta com mais frequência na gravidez. A infecção pode ter diferentes níveis de gravidade, dependendo do lugar do aparelho urinário que seja afetado, sendo os rins os mais graves.

A gravidez favorece a aparição de infecções urinárias. Esta predisposição se deve a:

  • Diminuição da contração da bexiga
  • Aumento da eliminação de glicose na urina
  • Compressão da bexiga
  • Maior possibilidade de ocorrência de germes (provenientes de outras partes do organismo) nos rins, devido ao aumento da circulação sanguínia que normalmente ocorre durante a gravidez.

Os sintomas variam desde nenhum, no caso da bacteriuria assintomática (5 a 10% das grávidas), até febres e mal-estares generalizados com pielonefrite aguda, ou seja, na pelve renal (1 a 2%), passando por sintomas que se confundem com os próprios da gravidez na cistite.

É detectada por meio de exames de urina, que buscam os germes causadores, e também por meio de exame de sangue, no caso de infecções graves.

Tratamentos e complicações

O tratamento é feito com antibióticos, muitos dos quais não podem ser ingeridos durante a gravidez. Por isso, não sugerimos que se automedique e que, sim, consulte seu médico. Em algumas infecções mais severas, é necessário internar a grávida para um melhor controle dela e do feto.

As complicações que podem surgir nas infecções graves são a sepse (infecção generalizada com falhas em múltiplos órgãos), a ameaça de parto prematuro, o parto prematuro, a alteração das funções dos rins, etc. A infecção severa, pielonefritis, tem 25% de voltar uma vez tratada.

Para prevenir as infecções severas, são feitos estudos de urina nas grávidas para detectar infecções sem sintomas e tratá-las com antibióticos antes que se tornem infecções graves. Também é útil manter uma dieta saudável, evitar a constipação (que favorece a infecção urinária), tomar bastante líquido e seguir os controles de gravidez, segundo te indicará a equipe médica.

Você por estar interessado

Prurido (comichão)

A barriga coça? Novamente, a alteração hormonal produzida durante a gravidez é a culpável. É normal que isso aconteça, mas é sempre melhor verificar com seu médico.

Prurido (comichão)



A barriga coça? Novamente, a alteração hormonal produzida durante a gravidez é a culpável. É normal que isso aconteça, mas é sempre melhor verificar com seu médico.

O prurido na pele é comum na gravidez. Sua pele está mais seca e geralmente pode causar a coceira. Pode ocorrer em qualquer parte do corpo, mas especialmente na pele do abdômen e principalmente nas estrias que parecem progredir na gravidez. Você também pode ter prurido ao redor dos tornozelos que está ligada as alterações nas veias das pernas. De qualquer forma, é um prurido leve que não a deixar acordar na noite e raramente deixa marcas de se ter coçado.

O prurido cede com a aplicação de loções hidratantes, mas você deve consultar com seu médico ou dermatologista para saber o que você não pode usar.

Em outros casos, o prurido pode ser devido a infestações parasitárias, tais como escabiosis (sarna), doenças hepáticas como cirrose biliar primária ou colestase gravídica, doença renal, tireoidea ou cutânea. Em geral, nestes casos, o prurido pode ser muito intenso, especialmente nas palmas e nas plantas do pé, chegando a acordá-la na noite ou não a deixar dormir. Isso também causa uma comichão tão intensa que deixa marcas. Com qualquer uma dessas últimas características, é importante consultar com o médico.

Você por estar interessado