Sangramento vaginal na gravidez

Os sangramentos produzidos durante a gravidez acontecem por diversos motivos, dependendo do momento da gravidez (primeira ou segunda metade).

Sangramento durante a primeira metade da gravidez:


Os da primeira metade podem corresponder a gravidez ectópica (gravidez que se desenvolve fora da cavidade uterina, geralmente nas trompas), a ameaça de aborto, aborto ou doença trofoblástica (doença tumoral geralmente benigna).

Normalmente, além do sangramento, há também dor, seja no hipogástrio (em cima do púbis) no caso do aborto e da ameaça de aborto, ou em todo o abdômen no caso da gravidez ectópica. Embora sejam complicações graves, no caso da ameaça de aborto espontâneo a maioria das mulheres mantém a gravidez até o final.

A gravidez ectópica pode ser confundida com outras doenças, como a apendicite ou uma inflamação pélvica, e seu diagnóstico pode ser complexo.

Sangramento durante a segunda metade da gravidez:


Os da segunda metade da gravidez são por placenta prévia (90% das causas), ou por um descolamento da placenta. Em geral, a placenta prévia sangra bastante, é indolor e tem chances de repetir o sangramento. O feto será afetado dependendo da perda de sangue da mãe. Mesmo a gravidez sendo considerada de risco, com controle médico é possível chegar a um desfecho positivo.

O descolamento da placenta é uma complicação grave, uma emergência que se resolve com a cesárea. É acompanhado de dor intensa e transtornos da circulação com sangramento pouco visível. Esta eventualidade acontece em 50% dos casos em grávidas hipertensas.

Estas são as causas mais prováveis de um eventual sangramento vaginal. Diante da aparição deste, é fundamental que consulte seu obstetra. A gravidade e o prognóstico dependerão da causa e da intensidade do sangramento.

Você por estar interessado

Prurido (comichão)

A barriga coça? Novamente, a alteração hormonal produzida durante a gravidez é a culpável. É normal que isso aconteça, mas é sempre melhor verificar com seu médico.

Prurido (comichão)



A barriga coça? Novamente, a alteração hormonal produzida durante a gravidez é a culpável. É normal que isso aconteça, mas é sempre melhor verificar com seu médico.

O prurido na pele é comum na gravidez. Sua pele está mais seca e geralmente pode causar a coceira. Pode ocorrer em qualquer parte do corpo, mas especialmente na pele do abdômen e principalmente nas estrias que parecem progredir na gravidez. Você também pode ter prurido ao redor dos tornozelos que está ligada as alterações nas veias das pernas. De qualquer forma, é um prurido leve que não a deixar acordar na noite e raramente deixa marcas de se ter coçado.

O prurido cede com a aplicação de loções hidratantes, mas você deve consultar com seu médico ou dermatologista para saber o que você não pode usar.

Em outros casos, o prurido pode ser devido a infestações parasitárias, tais como escabiosis (sarna), doenças hepáticas como cirrose biliar primária ou colestase gravídica, doença renal, tireoidea ou cutânea. Em geral, nestes casos, o prurido pode ser muito intenso, especialmente nas palmas e nas plantas do pé, chegando a acordá-la na noite ou não a deixar dormir. Isso também causa uma comichão tão intensa que deixa marcas. Com qualquer uma dessas últimas características, é importante consultar com o médico.

Você por estar interessado