Possíveis complicações numa gravidez de múltiplos

Esperar mais de um bebê acarreta um maior risco de que surjam complicações durante o parto, tanto para a mãe como para os bebês. Por isso, as gravidezes múltiplas são consideradas pelos médicos como dependentes de cuidado especial.

Entre as complicações mais frequentes das gestações múltiplas se incluem:

  • Anemia. É duas vezes mais frequente do que em gestações simples.
  • Aborto espontâneo. Mais frequente em gravidezes múltiplas, pode ocasionar a perda de um só bebê, e que os demais continuem desenvolvendo-se normalmente, ou pode afetar toda a gestação.
  • Defeitos congênitos. As gravidezes múltiplas apresentam o dobro de riscos de anormalidades congênitas nos bebês.
  • Quantidades anormais de líquido amniótico. As gestações de múltiplos são mais propensas a produzir anormalidades do líquido amniótico, em particular no caso de gêmeos que compartilham a placenta.
  • Hipertensão induzida pela gravidez: as mulheres com gestação múltipla são três vezes mais propensas a desenvolver alta pressão sanguínea devido à gravidez, o que aumenta os riscos de sofrer de pré-eclâmpsia e diabetes gestacional. Em geral, isso não representa riscos para a saúde da mãe nem dos seus bebês, sempre que se aplique a tempo o tratamento adequado.

Outras complicações que podem aparecer são o desprendimento precoce da placenta, a síndrome dos gêmeos transfusor – transfundido e, a mais comum: o parto prematuro.

Parto prematuro

Quanto mais bebês, maior é a probabilidade de que a gravidez não chegue até o final. Alguns estudos médicos mostram que aproximadamente metade dos partos de gêmeos, 9 em cada 10 partos de trigêmeos e praticamente todos os nascimentos de quadrigêmeos acontecem de forma prematura.

Em média, as gestações únicas duram 39 ou 40 semanas, tempo que se considera normal ou esperado para uma gestação humana. Em comparação, as gravidezes de múltiplos são mais curtas, não completam seu desenvolvimento e isso acarreta certas complicações para os bebês. As gestações duplas costumam durar 36 ou 37 semanas, embora não existam dados sistemáticos, algumas fontes informam que as de trigêmeos duram por volta de 32 semanas, as de quadrigêmeos 30 semanas, e os quíntuplos, 29 semanas.

Muitos bebês nascidos em alumbramentos múltiplos costumam ser pequenos, têm baixo peso ao nascer e podem precisar de assistência para respirar, comer, combater as infecções e manter a temperatura corporal. Esses bebês vão necessitar de atenção em uma unidade de cuidados intensivos neonatais.

É importante destacar que atualmente, os avanços tecnológicos proporcionam a possibilidade de que esses bebês sobrevivam. Na maioria das vezes, logo após o parto, os bebês permanecem em incubadoras até que alcancem o máximo de maturidade. As incubadoras funcionam como úteros, que transitoriamente lhes proporcionam calor e umidade. Dessa forma, elas evitam o contágio de virus e bactérias próprias da vulnerabilidade do bebê.

Você por estar interessado

Sintomas de que o parto está próximo

O sinal que melhor indica o momento do parto é o começo das contrações. No entanto, existem alguns outros sintomas que podem alertar sua aproximação.

Sensação de que o bebê está mais para baixo: ao preparar-se para o canal do parto, o bebê desce e pressiona o púbis. Isto pode ocorrer semanas ou momentos antes do parto.

Aumento das secreções vaginais: pode ser transparente, rosado ou com rastros de sangue. É a perda do tampão mucoso, que pode ocorrer alguns dias ou horas antes do parto.

Rompimento da bolsa: é a descarga do fluxo aquoso da vagina, um líquido quente que corre pelas genitais. Isto pode ocorrer várias horas antes das dores do parto.

Quando ligar para o seu obstetra?



  • Sempre que a bolsa de água romper, inclusive se você não tiver dores, nem contrações.
  • Se o bebê parou de se mexer na barriga.
  • Se houver hemorragia vaginal distinta das secreções com rastros de sangue.


Se você não tiver nenhum destes sintomas, o método para identificar o momento de ligar para o seu médico é calcular o tempo entre uma contração e outra. Também se as contrações são intensas e regulares, se o intervalo entre uma e outra vai diminuindo e se movimentar ou mudar de posição não aliviar a dor. Mas fique tranquila, há tempo: do trabalho de parto até o nascimento podem passar de 8 a 12 horas.

Você por estar interessado