Como é um recém-nascido?

É lógico que os futuros papais se façam esta pergunta. Os recém-nascidos têm características que precisam ser levadas em conta para poder cuidá-los de forma adequada.

O primeiro aspecto do nosso bebê

Os recém-nascidos têm a circulação sanguínea lenta e instável, assim que é comum que a sua pele tenha um vermelho escuro e apresentem as mãos e os pés azulados, principalmente quando as extremidades estão frias. Frequentemente, costuma-se observar uma cor amarelada, visível primeiro na conjuntiva (a parte branca do olho) e logo em todo o resto do corpo. Estas características se denominam como “icterícia”, a qual está relacionada com a imaturidade do fígado nos primeiros dias de vida do pequeno, o que faz com que os níveis de bilirrubina aumentem acima do normal.

Também é muito comum observar manchas azuis escuras nos glúteos e costas, as quais não têm nenhuma relação com a saúde do bebê que desaparecem com o tempo, ainda que não seja estranho que permaneçam por longos períodos (um ano ou mais).

Cuidando das fontanelas do bebê

A cabeça do bebê pode estar aparentemente deformada, principalmente se o parto foi muito prolongado. É comum a forma comprida da cabeça, aspecto que adquire ao passar pelo canal de parto. Algumas vezes, os recém-nascidos podem ter céfalos-hematomas que são acúmulos de sangue debaixo do coro cabeludo, causados pelo traumatismo do parto e que são absorvidos somente com o tempo.

Todos os recém-nascidos apresentam as fontanelas permeáveis. As fontanelas são chamadas habitualmente de “moleiras” e são essas áreas macias da cabeça, onde não se apalpa o osso e que se fecham quando o bebê cresce, aproximadamente ao completar um ano de vida. Esta área da cabeça do bebê é muito frágil, por isso é aconselhável tratá-las com muito cuidado. Evitar golpes e quedas. Também é importante a observação por parte de um profissional sobre a evolução das fontanelas, já que determina o correto desenvolvimento ósseo do bebê.

Desenvolvimento dos sentidos

Podem ter os olhos inchados, as orelhas dobradas e o nariz tapado por secreções, características normais nos primeiros dias de vida. O olho do recém-nascido é capaz de observar a 20 cm de distância, é muito sensível à luz e vê em três dimensões. A capacidade de prestar atenção a estímulos auditivos já se desenvolve desde a 28ª semana na barriga da mamãe. O bebê gira seus olhos e logo a sua cabeça em direção a estímulos sonoros.

A respiração é rápida e variável. Acontece o mesmo com as batidas do coração. É muito comum que apresentem, sejam homens ou mulheres, mamilos inflamados, e inclusive que escorram um pouco de leite devido os hormônios que recebem da mamãe durante a gravidez e o aleitamento.

O umbigo do bebê

O abdômen é habitualmente globuloso. Tem restos de cordão umbilical que deve se secar e cair entre 5 a 15 dias. É normal que os bebês tenham uma hérnia umbilical, já que os músculos abdominais ainda são fracos. Nossas avós costumavam vendar ou enfaixar o bebê para corrigir esta condição. No entanto, não é necessário tomar nenhuma ação, pois as hérnias se corrigem sozinhas quando o bebê fortalece seus músculos ao se sentar parado.

Compreendendo o sono do bebê recém-nascido

O seu bebê está numa fase em que as mudanças ocorrem em tal velocidade que não pode ser comparada a nenhuma outra etapa da sua vida. Nem mesmo na adolescência crescerá e mudará com tamanha rapidez. Não se esqueça de que até pouco tempo vivia num lugar aconchegante e seguro, diferente de dormir num berço, que embora possa ser muito bonito, não é tão confortável quando a sua barriga.

O sono dos bebês não é igual ao dos adultos

Para ajudá-lo a dormir, é importante ter em mente alguns dados sobre é o sono dos bebês, principalmente porque têm um sono bastante diferente dos adultos e, às vezes, têm hábitos extremamente opostos.

Por exemplo, enquanto os grandes destinam 8 horas para descansar, os bebês reservam esta mesma quantidade de tempo para estar acordados. As outras 16 horas são usadas para dormir, despertando a cada três horas para poder se alimentar.

Assim sendo, não é possível que os bebês recém-nascidos se adequem rapidamente aos nossos costumes. É mais fácil que o papai e a mamãe entendam que o modo como concebiam o descanso terá que mudar totalmente, pelo menos durante estes primeiros meses.

Aos três meses: criando hábitos

A partir dos três meses, os bebês começam a se adaptar e a ter períodos de sono – umas seis horas – mais prologandos pela noite. Você irá perceber porque nesta fase, o pequeno passa a ficar mais tempo acordado durante o dia. Desse modo, se suas intenções é criar hábitos de sono em seu filhinho, é recomendável esperar até o primeiro trimestre.

Enquanto você se acostuma a este novo caos que são as noites com um recém-nascido, pode aproveitar para intercambiar aprendizados. Enquanto aprende as características do sono do seu bebê, ele irá se adaptando a este novo mundo que você o apresenta.