Mantenha o seu otimismo: todos conseguem!

Não vai ser fácil para o seu bebê deixar as fraldas... Porém, mais cedo ou mais tarde irá conseguir. Fique tranquila e leia estes conselhos.

Durante o processo de aprendizagem para ir ao banheiro podem acontecer muitas coisas. Às vezes, o período tem retrocessos que fazem com que o bebê volte a fazer suas necessidades de maneira involuntária. A isto se dá o nome de encoprese, o que nada mais é do que uma consequência da prisão de ventre. Tenha em mente que o seu bebê não está fazendo de propósito. Assim sendo, não adianta brigar com ele, pelo contrário, isto só fará aumentar o problema.

O seu bebê lhe dá os sinais…

As regressões costumam mostrar a dificuldade do aprendizado, já que para o pequeno implica um grande esforço poder controlar a bexiga e o ânus. Fique tranquila e volte a colocá-lo a fralda. Depois pode pedir ao seu filho que ele lhe avise quando se sentir preparado. Uma boa ideia é observar os avanços do bebê e premiá-lo com algo estimulante sempre que alcance uma nova conquista.

Em alguns casos, pode-se gerar infecções na bexiga por questões psicológicas (não poder controlar o próprio corpo, não poder cumprir com os desejos dos pais), mudanças na cor ou no cheiro da urina, diminuição do jato urinário, incontinência vesical ou ardor ao urinar (que se conhece como disúria). Não hesite em consultar o seu pediatra se surgir alguma dessas situações, mas sempre mantendo a calma e sem alarmar o seu neném.

Não raramente, as causas do problema são de ordem psicológica. É preciso muita paciência, amor, compreensão e carinho. Todos conseguem!

Você por estar interessado

O quarto do bebê

Passaram os primeiros meses de vida e decidiram que é hora do bebê ter o seu próprio quarto. Saibam tudo o que é preciso para que a decoração infantil não afete o sono do seu filho e que seja um espaço seguro

O quarto das crianças é um espaço pessoal e ali passarão várias horas por dia.

A possibilidade de dar ao seu bebê o seu próprio dormitório tem duas principais vantagens:

  • Favorece a independência da criança.
  • Os pais recuperam o seu próprio espaço.

No entanto, entre tantas opções para decorar espaços infantis não devemos deixar de lado que o quarto será basicamente um lugar de descanso.

Por esta razão, o ideal é que este ambiente seja:

  • Aconchegante
  • Estimulante
  • Seguro
  • Agradável
  • Funcional

Sobre as cores

A decoração e as cores influenciam diretamente no sono das crianças. Uma má escolha pode gerar pesadelos noturnos, principalmente entre os dois e cinco anos de idade. O melhor então é optar por tons pastéis.

Sobre a iluminação

Recomenda-se utilizar uma iluminação indireta e suave para que ajude a conciliar o sono do bebê e não o deixe alterado quando acordar ou quando requeira atenção durante a noite. Um ponto importante na escolha dos artefatos de luz é a segurança.

Não é indicado o uso de luminárias de pé, já que se transformam em riscos para o primeiro mês do bebê. No caso de usar abajur, deve estar longe do alcance das crianças e com o fio oculto. É preciso prever que as lâmpadas fixas, tanto as que ficam pregadas na parede quanto as penduradas no teto, não podem ser alcançadas se a criança se coloque de pé na cama ou numa cadeira.

Sobre os móveis infantis

É bom contar com uma poltrona ou cadeira de balanço nos primeiros meses, seja para descansar, dormir ou alimentar o bebê.

Ao que se refere ao berço, quando o bebê já tenha um ano de idade, não esqueçam de controlar a altura das barras, pois se chega a altura do abdômen, a criança pode cair.

Cantinho dos jogos

Quando já estejam maiores, pode-se preparar um cantinho dentro do quarto para os jogos. Mas o recomendável é que os brinquedos não invadam todo o dormitório.

Você por estar interessado