Síndrome da transfusão intergemelar

Como se trata de uma complicação da gravidez pouco frequente, suas características não estão muito difundidas e muitos ginecologistas têm dificuldade para diagnosticar por falta de experiência e de conhecimento.

A porcentagem de gestações que sofrem dessa síndrome é muito baixa, porque se trata de uma patologia que pode desencadear um só tipo determidado de gestação múltipla: a de gêmeos idênticos e que compartilham uma única placenta.

O desenvolvimento normal de dois ou mais bebês em uma gestação múltipla requer que cada um receba o abastecimento de oxigênio e alimento necessários para o crescimento. Para que isso possa acontecer, cada bebê deve dispor de uma corrente sanguínea independente.

Quando os cordões umbilicais dos bebês chegam à mesma placenta, os vasos sanguíneos de um e outro podem se conectar. Caso isso aconteça, um deles, chamado transfusor, bombeia sangue ao outro, chamado receptor ou transfundido.

Por esse procedimento, um dos bebês (receptor) recebe sangue demais e cresce muito, tenta, então, equilibrar a situação urinando muito e por isso produz muito líquido amniótico, o que pode acarretar em um problema cardíado. O doador, por outro lado, não recebe o suficiente, urina pouco, produz pouco líquido amniótico e não consegue o alimento e oxigênio suficientes para crescer e desenvolver-se normalmente.

Certos tipos de conexões são muito perigosas, outras nem tanto. As conexões entre artérias que vão de um a outro nos dois sentidos, quando os dois bebês são doadores e receptores, não acarreta grandes complicações.

No entando, trata-se de uma situação potencialmente muito perigosa para ambos os bebês, e por essa razão é muito importante que diante de qualquer dúvida você consulte o seu médico.

 

Você por estar interessado

Prurido (comichão)

A barriga coça? Novamente, a alteração hormonal produzida durante a gravidez é a culpável. É normal que isso aconteça, mas é sempre melhor verificar com seu médico.

Prurido (comichão)



A barriga coça? Novamente, a alteração hormonal produzida durante a gravidez é a culpável. É normal que isso aconteça, mas é sempre melhor verificar com seu médico.

O prurido na pele é comum na gravidez. Sua pele está mais seca e geralmente pode causar a coceira. Pode ocorrer em qualquer parte do corpo, mas especialmente na pele do abdômen e principalmente nas estrias que parecem progredir na gravidez. Você também pode ter prurido ao redor dos tornozelos que está ligada as alterações nas veias das pernas. De qualquer forma, é um prurido leve que não a deixar acordar na noite e raramente deixa marcas de se ter coçado.

O prurido cede com a aplicação de loções hidratantes, mas você deve consultar com seu médico ou dermatologista para saber o que você não pode usar.

Em outros casos, o prurido pode ser devido a infestações parasitárias, tais como escabiosis (sarna), doenças hepáticas como cirrose biliar primária ou colestase gravídica, doença renal, tireoidea ou cutânea. Em geral, nestes casos, o prurido pode ser muito intenso, especialmente nas palmas e nas plantas do pé, chegando a acordá-la na noite ou não a deixar dormir. Isso também causa uma comichão tão intensa que deixa marcas. Com qualquer uma dessas últimas características, é importante consultar com o médico.

Você por estar interessado