Coleta do sangue do cordão umbilical

Coleta do sangue do cordão umbilical

A coleta de sangue do cordão umbilical é simples, segura e sem nenhum tipo de risco para a mãe ou para o bebê. Deve ser realizada por um médico capacidado e com todo material esterilizado e preparado para esse fim.

Realiza-se depois do parto, com o cordão umbilical e a placenta, por isso é completamente indolor e sem riscos.

Posteriormente, o sangue obtido é processado para obter a maior quantidade de células-tronco e passar deste modo à criopreservação. As células são armazenadas em nitrogênio líquido, a -196° de temperatura durante o tempo necessário.

Os bancos privados de sangue do cordão umbilical oferecem diferentes benefícios, como assessoramento e acompanhamento médico durante a gravidez. Nesse processo, um médico capacidado intervém para a coleta do sangue. Por sua vez, esses realizam um back up da amostra em outro laboratório e produzem uma criogenização fracionada (permitindo seu uso parcial).

Por outra parte, os bancos de sangue privados proporcionam muitas facilidades de pagamento.

Os bancos de sangue de cordão umbilical têm como finalidade a conservação para futuros transplantes, se solicita que a mãe cumpra com certos requisitos para poder ser doadora. Deve ser maior de 18 anos com uma idade gestacional maior que 34 semanas no momento da coleta, e não ter histórico médico de doenças neoplásticas (câncer) e/ou hematológicas (anemias hereditárias, por exemplo).

Importante: o centro de atenção médica realiza um acompanhamento do bebê durante os 6 primeiros meses de vida, para descartar a presença de possíveis doenças genéticas.

Em ambos os casos, a coleta de sague se realiza do mesmo modo, completamente seguro e sem riscos para a mãe e para o bebê.

Você por estar interessado

Parto de múltiplos

O parto de múltiplos é mais complexo que o de um só bebê. Entretanto, se a gravidez for controlada de forma sistemática por médicos especializados, a maioria das possíveis complicações pode ser previstas.

A forma em que o parto será realizado depende de vários fatores, tais como a quantidade de bebês que vai nascer, a posição em que eles se encontram, a idade gestacional e o estado de saúde da mãe e dos seus bebês.

  • Um parto múltiplo é atendido por uma equipe médica mais numerosa que um parto único, por isso o mais provável é que ele ocorra no na sala de cirurgia, e não na sala de parto. Nesse local os médicos contam com todo o necessário para atender qualquer imprevisto que possa acontecer.
  • Em partos múltiplos costumam participar, além do obstetra, um anestesista e um neonatologista, que examina os bebês no momento do nascimento.
  • Um dado importante é que, quando se espera mais de um bebê, não é aconselhável planejar um parto domiciliar.
  • É provável que durante o parto você fique conectada a um monitor fetal, que auxilia o médico a controlar o progresso de cada bebê.
  • Em uma gestação de gêmeos, no geral, os bebês são menores e pesam menos do que um bebê que não teve que compartilhar o espaço do útero e isso facilita o seu nascimento via parto vaginal. O intervalo entre o nascimento de um bebê e outro em um parto normal é inferior a uma hora. Caso a cesária seja necessária, os bebês nascerão em intervalos de poucos minutos.
  • Um terço dos partos de gestações de múltiplos acontece de forma prematura. Se o parto se adianta, os bebês serão controlados detalhadamente para detectar possíveis sinais de sofrimento. Alguns bebês prematuros necessitam ser levados de imediato a unidade de cuidados intensivos para receber cuidados especiais.

Você por estar interessado