Fórceps

É um instrumento cirúrgico que se utiliza para auxiliar o parto e facilitar a passagem da cabeça do bebê pelo canal da vagina. É uma pinça arredondada, desenhada especialmente para sujeitar a sua cabecinha na altura das orelhas.

Ainda que não seja um procedimento de rotina, é realizado em diversos casos, por exemplo:

  • Se o bebê se apresenta de nádegas – o fórceps é utilizado para proteger a cabeça, que sairá por último.
  • Se o bebê se encontra em posição, mas não continua descendo pelo canal do parto e começa a apresentar sinais de estresse fetal.
  • Se por ação da anestesia peridural, a mãe não pode empurrar.
  • Se as contrações uterinas são fracas.
  • Se o trabalho de parto deixa a mãe exausta.

Durante a fase de expulsão, quando o colo do útero se encontra completamente dilatado e o bebê desceu ao canal do parto, o médico coloca o fórceps dentro da vagina. Quando o instrumento é posicionado nos lados da cabeça do bebê, o médico gentilmente a puxa enquanto a mãe empurra. O resto do parto se realiza normalmente.

O uso do fórceps vem frequentemente acompanhado de uma episiotomia já feita, para isso se utiliza a anestesia peridural ou local.

A palavra “fórceps” gera muita insegurança nos pais, e, por mais que esse seja um procedimento seguro e que geralmente é mais indicado que a cesária de emergência, cabe ressaltar alguns riscos:

  • Marcas no rosto do bebê que desaparecem em poucos días.
  • Ocasionalmente pode produzir lesões no nervo facial, no entanto, essas lesões são geralmente temporárias e melhoram dias depois do parto sem nenhum tipo de tratamento.
  • Lesões na vagina e/ou bexiga da mãe.

Por esses motivos, o fórceps é utilizado em partos sempre que os seus beneficios superem os riscos. Recomenda-se que os futuros pais esclareçam todas as dúvidas com seu médico obstetra antes do parto. Desse modo, estarão preparados para qualquer eventualidade que surja no momento de trazer o bebê ao mundo.

Você por estar interessado

Sintomas de que o parto está próximo

O sinal que melhor indica o momento do parto é o começo das contrações. No entanto, existem alguns outros sintomas que podem alertar sua aproximação.

Sensação de que o bebê está mais para baixo: ao preparar-se para o canal do parto, o bebê desce e pressiona o púbis. Isto pode ocorrer semanas ou momentos antes do parto.

Aumento das secreções vaginais: pode ser transparente, rosado ou com rastros de sangue. É a perda do tampão mucoso, que pode ocorrer alguns dias ou horas antes do parto.

Rompimento da bolsa: é a descarga do fluxo aquoso da vagina, um líquido quente que corre pelas genitais. Isto pode ocorrer várias horas antes das dores do parto.

Quando ligar para o seu obstetra?



  • Sempre que a bolsa de água romper, inclusive se você não tiver dores, nem contrações.
  • Se o bebê parou de se mexer na barriga.
  • Se houver hemorragia vaginal distinta das secreções com rastros de sangue.


Se você não tiver nenhum destes sintomas, o método para identificar o momento de ligar para o seu médico é calcular o tempo entre uma contração e outra. Também se as contrações são intensas e regulares, se o intervalo entre uma e outra vai diminuindo e se movimentar ou mudar de posição não aliviar a dor. Mas fique tranquila, há tempo: do trabalho de parto até o nascimento podem passar de 8 a 12 horas.

Você por estar interessado