Fórceps

É um instrumento cirúrgico que se utiliza para auxiliar o parto e facilitar a passagem da cabeça do bebê pelo canal da vagina. É uma pinça arredondada, desenhada especialmente para sujeitar a sua cabecinha na altura das orelhas.

Ainda que não seja um procedimento de rotina, é realizado em diversos casos, por exemplo:

  • Se o bebê se apresenta de nádegas – o fórceps é utilizado para proteger a cabeça, que sairá por último.
  • Se o bebê se encontra em posição, mas não continua descendo pelo canal do parto e começa a apresentar sinais de estresse fetal.
  • Se por ação da anestesia peridural, a mãe não pode empurrar.
  • Se as contrações uterinas são fracas.
  • Se o trabalho de parto deixa a mãe exausta.

Durante a fase de expulsão, quando o colo do útero se encontra completamente dilatado e o bebê desceu ao canal do parto, o médico coloca o fórceps dentro da vagina. Quando o instrumento é posicionado nos lados da cabeça do bebê, o médico gentilmente a puxa enquanto a mãe empurra. O resto do parto se realiza normalmente.

O uso do fórceps vem frequentemente acompanhado de uma episiotomia já feita, para isso se utiliza a anestesia peridural ou local.

A palavra “fórceps” gera muita insegurança nos pais, e, por mais que esse seja um procedimento seguro e que geralmente é mais indicado que a cesária de emergência, cabe ressaltar alguns riscos:

  • Marcas no rosto do bebê que desaparecem em poucos días.
  • Ocasionalmente pode produzir lesões no nervo facial, no entanto, essas lesões são geralmente temporárias e melhoram dias depois do parto sem nenhum tipo de tratamento.
  • Lesões na vagina e/ou bexiga da mãe.

Por esses motivos, o fórceps é utilizado em partos sempre que os seus beneficios superem os riscos. Recomenda-se que os futuros pais esclareçam todas as dúvidas com seu médico obstetra antes do parto. Desse modo, estarão preparados para qualquer eventualidade que surja no momento de trazer o bebê ao mundo.

Você por estar interessado

Indicios de que o parto esta chegando

Para a maioria das mulheres, a primeira etapa do parto é a mais longa e a mais difícil porque, durante este período, seu útero gera fortes contrações para abrir o colo uterino, o músculo entre o útero e a vagina. É preciso que ele se dilate 10 centímetros para que seu bebê possa sair.

Indícios de que o parto está chegando

Primeira etapa

Para a maioria das mulheres, a primeira etapa do parto é a mais longa e a mais difícil porque, durante este período, seu útero gera fortes contrações para abrir o colo uterino, o músculo entre o útero e a vagina. É preciso que ele se dilate 10 centímetros para que seu bebê possa sair.

Os primeiros sinais de que o parto está chegando

O parto, como o nascimento, é uma experiência única para todas as mulheres e existem várias maneiras pelas quais ele pode começar. É fácil confundir os sinais de "pré-parto" com o próprio parto.

Alguns sinais que indicam o começo do parto

Sangramento

Quando a "tampa mucosa" que fecha o colo uterino for liberada, você sentirá uma descarga que geralmente contém uma pequena quantidade de sangue e mucosidade. Para algumas mulheres, isso acontece no começo do parto; Para outras, pode acontecer alguns dias ou mesmo semanas antes. Se você algum tipo de sangramento é melhor verificar com seu médico imediatamente.

Quando a bolsa estoura

Quando a membrana que contém o líquido amniótico se rompe, esse líquido começará a sair, você pode sentir um fluxo grande ou talvez um pequeno e constante. Uma vez que a bolsa estoure, este líquido começará a fluir e continuará a sair ao longo do parto, é recomendável usar absorventes higiênicos. A ruptura pré-parto é incomum, ocorre apenas entre 5 e 10% das gravidezes, 90% das vezes as mulheres têm o parto dentro de 24 horas. Se isso não acontecer em breve, há um pequeno risco de infecção ou complicações com o cordão umbilical, por isso, lembre-se de pedir ajuda e instruções assim que sua bolsa estourar.

• Contrações

As primeiras contrações se sentem como cólicas, uma ligeira dor ao longo do abdômen, às vezes acompanhada de dores nas costas. Pegue papel, lápis e um relógio e comece a medir a duração de suas contrações, do começo ao fim e a frequência com que elas ocorrem. Se as contrações duram mais de meio minuto e se tornam mais frequentes e mais fortes; então você provavelmente está entrando em trabalho de parto.

Contrações

A fim de dilatar o colo uterino, a rede de fibras musculares que circundam o útero puxam e pressionam para cima. Essas fibras atingem seu comprimento mínimo no pico de cada contração, depois se relaxam à medida que a contração diminui, deixando o colo uterino cada vez mais aberto.

A maioria das mulheres tem fortes contrações e as descrevem como muito dolorosas. O parto é um grande esforço, pois o trabalho que seu corpo faz para abrir o colo uterino é realmente difícil.

As contrações geralmente se sentem como um aperto gradual do abdômen e muitas vezes são descritas como cólicas, mas muito mais fortes.

Quando ocorre uma contração real, é normal que seja difícil respirar ou mover-se até que ela passe, então, se você não tem certeza se você está entrando em trabalho de parto, provavelmente não está.

Quando o parto começa, as contrações vão durar cerca de 40 segundos e terão uma frequência de cerca de 10 minutos. Quando você estiver pronta para dar à luz, cada contração durará mais de um minuto e terá uma frequência de menos de um minuto.

A primeira etapa do parto

A primeira etapa do parto é geralmente a mais longa.

O nascimento com seu primeiro filho geralmente é mais longo do que o do segundo e o do próximo. Para o primeiro filho, o trabalho de parto dura aproximadamente entre 12 e 14 horas. No entanto, é normal que dure entre 2 e 24 horas.

A primeira etapa do parto geralmente é dividida em 3 fases distintas.

Fase inicial do parto

Na fase inicial, as contrações são relativamente leves e começam com uma frequência de cerca de 30 minutos. Com o passar do tempo, provavelmente algumas horas, as contrações se tornarão mais frequentes e mais fortes até uma frequência de cerca de 5 minutos.

A maioria das mulheres pode passar esta parte do parto em casa porque tem tempo suficiente para se recuperar entre as contrações e se preparar para a viagem ao hospital se for aí que elas desejem ter seu bebê. Neste ponto, mantenha contato com seu médico para saber quando é o momento certo para ir ao hospital.

A melhor maneira de lidar com o parto nesta fase é mover-se livremente, muitas mulheres dizem que andar um pouco e respirar durante as contrações é muito eficaz nesta fase.

Mesmo se você quiser poupar energia, é provável que, se você se mantiver em pé e em movimento, isso ajude o trabalho de parto a ir mais rápido.

No entanto, a etapa inicial do parto pode durar muitas horas, por isso também é bom descansar quando puder. Geralmente, deitar sob seu lado esquerdo, é mais confortável.

Você provavelmente vai querer comer alguma coisa nesta fase. Sua melhor opção serão carboidratos fáceis de digerir, evite alimentos gordurosos e ácidos. É importante que você se mantenha hidratada, de preferência com água e bebidas sem açúcar para evitar as náuseas.

Fase ativa do parto

Na fase "ativa" do parto, as contrações terão uma frequência entre 4 e 5 minutos e uma duração de cerca de um minuto. Neste ponto, é recomendável que você vá para o hospital.

Esta fase também dura algumas horas enquanto o colo uterino se expande ainda mais, entre 4 e 8 centímetros.

A maioria das mulheres lidam com as contrações desta fase colocando-se em uma posição confortável durante esse momento, às vezes uma posição funciona durante algumas contrações, mas para as próximas pode ser necessário acomodar-se de outra forma.

Durante a fase ativa do parto, acomodar-se para que você esteja reta e fazer ligeiros movimentos do quadril podem ajudar, enquanto a gravidade faz o trabalho de empurrar o bebê para dentro da pelve.

Posições com algum apoio são muitas vezes úteis, como se encostar a uma parede: incline-se para frente, apoiada em seu parceiro ou ajoelhe-se e apoie seus braços.

Na fase ativa, a maioria das mulheres não pode caminhar ou falar durante as contrações e geralmente querem passar o tempo entre as contrações, focadas no parto ou se preparando para a próxima onda de contrações ao invés de distrair-se em outras coisas.

A maioria das mulheres diz que a respiração pode ajudar a lidar com as contrações, respirar profundamente durante o início da contração e expirar ao longo do pico de cada uma. Respire lentamente e tranquilamente entre cada contração para poder relaxar.

Transição

O final da primeira etapa é marcado pela entrada na fase de transição.

As contrações serão mais longas, mais fortes e mais frequentes, geralmente com uma duração de 90 segundos e uma frequência entre 2 e 3 minutos.

Este é um período muito intenso no parto e muitas mulheres sentem que é demais, sentem-se assustadas ou com raiva. Além disso, é normal ter muito calor ou frio.

Felizmente, essa transição tende a durar muito menos do que as outras fases do parto, entre 10 minutos a 2 horas, tempo durante o qual o colo uterino se dilata 10 centímetros.

No final desta primeira etapa, o colo uterino está totalmente aberto, o suficiente para permitir que o bebê o atravesse e chegue a vagina. Isso geralmente é descrito como dilatada 10 centímetros ou completamente dilatada.

O parto se acelera a medida que avança, normalmente o colo uterino leva muito mais tempo para dilatar os primeiros 5 centímetros do que os últimos.

Durante o trabalho de parto, seu médico irá monitorar a resposta do seu bebê, geralmente medindo sua frequência cardíaca.

Isso é possível por meio de uma revisão periódica de seu abdômen com um instrumento especial chamado Estetoscópio Pinard ou usando um cinto ao redor do abdômen que está ligado a um monitor fetal eletrônico (EFM) que mostra a frequência cardíaca do seu bebê e que pode ser impresso, caso seja necessário. Às vezes, um monitor interno é usado, com um eletrodo ligado ao crânio do bebê para transmitir os sinais vitais que são apresentados no EFM.

Para muitas mulheres, especialmente aquelas que podem se mover durante o parto, usar o cinto eletrônico do monitor fetal pode ser incômodo, então, quando os médicos querem usá-lo, eles fazem isso por curtos períodos de tempo, por exemplo, 30 minutos, a menos que existam preocupações claras quanto à reação do bebê no momento do parto.

É muito importante que, durante a primeira etapa do parto, a mãe esteja o mais confortável possível e se sinta segura e apoiada.

Ter seu parceiro e / ou um amigo confiável, bem como um profissional de saúde, pode ser de grande ajuda, especialmente se ele / ela está ciente e tenha frequentado às aulas de preparação materna com você.

Por Fran Molloy - Jornalista e mãe de 4

Você por estar interessado