Parto em casa: o papel da parteira

Parto em casa: o papel da parteira

A parteira representa a figura feminina com experiência e que fornece calma e conhecimento à futura mamãe.

No parto natural e no parto em casa, o obstetra ou a parteira ocupa um lugar muito especial, já que se define como “parteira” aquela pessoa habilitada para a atenção às gravidezes, partos e puerpérios normais.

Quando a mãe decide junto de sua família que o parto será feito em casa, a relação com a parteira vai se estabelecendo desde os primeiros meses de gravidez, com o objetivo de se conhecerem e juntas definirem o parto ideal. A relação se aprofunda nas últimas semanas em que se definem os detalhes do que será o trabalho de parto.

Quando a futura mãe sente as primeiras contrações, se comunica com a parteira, que vai de encontro a sua companhia. A parteira se mantém em constante comunicação com o obstetra para mantê-lo atualizado de quando a sua presença será requerida. No momento em que as primeiras dores fortes começarem, será a parteira quem vai ajudar a mãe a lembrar qual era o seu plano ideal, seus sonhos para o momento, os passos combinados em relação à respiração, relaxamento e atitude. Logo, te ajudará a explorar as ferramentas para poder fazer tudo isso possível.

Para que um parto em casa cumpra com as condições ideais, a parteira escolhida deve ter o dom da sensibilidade, da empatia e a abertura suficiente para entender que cada parto e mulher são diferentes. O êxito dessa profissional, que em épocas pasadas se conhecia como ‘matrona’, depende, sobretudo, da sua habilidade para colocar seus próprios recursos a favor de um parto saudável.

Você por estar interessado

Parto de múltiplos

O parto de múltiplos é mais complexo que o de um só bebê. Entretanto, se a gravidez for controlada de forma sistemática por médicos especializados, a maioria das possíveis complicações pode ser previstas.

A forma em que o parto será realizado depende de vários fatores, tais como a quantidade de bebês que vai nascer, a posição em que eles se encontram, a idade gestacional e o estado de saúde da mãe e dos seus bebês.

  • Um parto múltiplo é atendido por uma equipe médica mais numerosa que um parto único, por isso o mais provável é que ele ocorra no na sala de cirurgia, e não na sala de parto. Nesse local os médicos contam com todo o necessário para atender qualquer imprevisto que possa acontecer.
  • Em partos múltiplos costumam participar, além do obstetra, um anestesista e um neonatologista, que examina os bebês no momento do nascimento.
  • Um dado importante é que, quando se espera mais de um bebê, não é aconselhável planejar um parto domiciliar.
  • É provável que durante o parto você fique conectada a um monitor fetal, que auxilia o médico a controlar o progresso de cada bebê.
  • Em uma gestação de gêmeos, no geral, os bebês são menores e pesam menos do que um bebê que não teve que compartilhar o espaço do útero e isso facilita o seu nascimento via parto vaginal. O intervalo entre o nascimento de um bebê e outro em um parto normal é inferior a uma hora. Caso a cesária seja necessária, os bebês nascerão em intervalos de poucos minutos.
  • Um terço dos partos de gestações de múltiplos acontece de forma prematura. Se o parto se adianta, os bebês serão controlados detalhadamente para detectar possíveis sinais de sofrimento. Alguns bebês prematuros necessitam ser levados de imediato a unidade de cuidados intensivos para receber cuidados especiais.

Você por estar interessado